Path Makers


 
InícioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 41 - 41...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Ihanskelsen
Aleatório
Aleatório
avatar

. : Cool
Mensagens : 13
Sanidade : 0

MensagemAssunto: 41 - 41...   Ter 21 Fev - 19:21

Yoo galerinha, aqui quem fala é o cara com o nome a esquerda (ou será direita).

O fato é que ja estou nesse fórum a um bom tempo, e nunca postei nada por incrível que pareça, mas agora criei algo e decide compartilhar com vocês para saber se está "apresentável"

Enfim, por enquanto é só isso! Por favor comentem!

PS: Ainda não decide o nome da história, quem tiver um bom nome, por favor me fale! Beijinho

---------------------------------------------------------------------------------------------------

Prólogo – Guerra do Milênio

O mundo se destruiu após a guerra do milênio, tudo aquilo que foi construído se acabou, todas as tentativas de conciliação foram em vão, e após tantas brigas nós a raça humana conseguimos aquilo que supostamente estávamos procurando, a destruição total.
Nunca se foi dito ao certo o porquê dessa guerra ter acontecido, até mesmo porque poucas informações sobraram daquela época, mas meu avô, dizia que tudo isso aconteceu, pelo ciclo do ódio do mundo, ciclo esse que começa no inicio de um novo milênio, e que ao final do mesmo acaba por destruir tudo, esse ciclo ocorre por um conjunto de motivações, mas a principal sempre será um novo tipo de poder, que surge como um vendaval e que faz nós homens ficarmos cegos.

Todos consideram meu avô louco, talvez ele fosse mesmo, afinal a explicações dele para essa guerra são bem vagas se for pensar bem, mas eu escolhi acreditar nele, não tenho nenhum motivo em especial para isso, mas acredito que ele gostaria que eu levasse sua convicção até o fim.

Por sinal esqueci-me de falar que meu avô recentemente morreu, na verdade ninguém sabe se é verdade, ninguém se importa também, mas eu acredito que ele morreu mesmo, esse sempre foi o jeito do velho ser, até na morte ele quis se destacar, e não existe melhor destaque do que deixar sua morte como uma incógnita. O fato é que após sua morte fiquei sozinho, minha mãe morreu após me dar a luz, e quanto a meu pai ninguém sabe de seu paradeiro, mas meu avô sempre falou que ele era um idiota, e que estaria fazendo um favor à humanidade se já estivesse morto.

Atualmente continuo morando na aldeia em que nasci, e por incrível que pareça jamais criei laços com ninguém nela, a verdade é que no mundo atual, as pessoas são amargas e só pensam nelas, às vezes eu gostaria de mudar isso, mas logo tenho um choque de realidade e vejo que nada posso fazer, afinal como alguém que não possui nenhum tipo de habilidade pode mudar alguma coisa, alguém assim como eu, só pode aceitar esse mundo e torcer para que alguém diferente de mim possa mudar.

Mas essa noite algo está estranho, sinto como se algo estivesse prestes a acontecer, uma sensação a qual eu jamais senti, provavelmente não deve passar de uma simples sensação, melhor eu ir dormir, devo estar cansado...

E assim começa a historia desse garoto pessimista, para ele essa nova sensação era só um reflexo de seu cansaço, mas felizmente (ou infelizmente) sua conclusão estava equivocada, pois algo muito grande está prestes a acontecer em sua vida, algo que vai alterar não só o seu destino, como o destino do mundo que se configurou após a guerra do milênio. E quanto ao nome desse garoto pessimista... Logo essa e várias outras perguntas serão respondidas.

Continua...



Última edição por Ihanskelsen em Ter 29 Maio - 21:41, editado 2 vez(es) (Razão : mudar o nome da historia)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eusine48
Top membro
Top membro
avatar

. : Sou imune ao feijão
Mensagens : 773
Sanidade : -17

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Ter 21 Fev - 19:28

LOL!

Olá, estranho de nome estranho! Bem vindo ao forúm! E que bom que temos mais um postador de fic por aqui!

Bom... Não sei NADA sobre a fic, mas parece muito bom! Conseguiu dar um ar de mistério e me deu a expectativa de que a história vai ser bem legal.

Quando vai sair o primeiro capítulo? A história vai ser semanal? f2

« siggy »

É isso que o Eusine pensa de mim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net/
arrout
Super Random Guy!
Super Random Guy!
avatar

. : *arroto* :3
Mensagens : 456
Sanidade : 2

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Qua 22 Fev - 11:21

f2
Alguém
resolveu sair da inatividade toatal e postar algo!
enfim...
achei a fic interessante!
Principalmente por parecer tratar de assuntos profundos!
como egocentrismo,poder e...
é... você entendeu

« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ihanskelsen
Aleatório
Aleatório
avatar

. : Cool
Mensagens : 13
Sanidade : 0

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Ter 29 Maio - 21:34

Capítulo 1- Revelações


Kaioji está quase pegando no sono, quando vê um pequeno reflexo se destacar no pequeno espelho ao lado de sua cama, inicialmente ele se assusta um pouco, mas se tranquiliza acreditando ser apenas a passagem de algum animal em frente de sua pequena cabana. E quando novamente está pegando no sono escuta sua porta bater.

Nesse momento o semblante de tranquilidade de Kaioji muda drasticamente, isso acontece por que jamais em toda sua vida, alguém havia o procurado em sua casa a noite.

Assustado, Kaioji indaga com uma voz desconfiada:

Kaioji: Quem é? Por acaso é alguém da vila?

?????: Sou o seu pai, abra logo a porta.

Kaioji fica perplexo com aquela revelação jogada a sua cara, por instantes ele se lembrou do seu avô, e de quanto ele falava mal do seu pai, que pelo que sabia era um grande idiota.

O suposto pai se impacienta com a moleza do suposto e filho e com um pequeno peteleco arromba a frágil porta que o impedia de entrar.

Mesmo após de todo barulho causado pelo arrombamento da porta, Kaioji continuava em seu estado de perplexidade, era como se ele preferisse não acreditar naquilo que estava vendo e ouvindo, como ele poderia imaginar que seu pai poderia aparecer tão repentinamente, procurando por um inútil como ele, alguém sem perspectivas de mudança, alguém sem força para enfrentar o próprio aquele mundo sujo...

O pai de Kaioji se demonstrava cada vez mais impaciente com a moleza de sua cria, por sua vez ele era um homem alto, com cerca de 1,90 de altura, suas feições indicavam um homem rígido e pouco cortez, seus olhos negros inspiravam determinação e até mesmo um pouco de ódio, sua barba mal feita e seus longos cabelos brancos que chegavam até a metade de sua longa costa completavam seu visual de homem assustador. Curiosamente todas essas características eram totalmente diferentes das de Kaioji, que era relativamente baixo para sua idade, com cerca de 1,70 de altura, um cabelo pequeno e de cor verde limão e seus olhos igualmente verdes eram pouco ameaçadores, mostrando até certa fragilidade.

Após o breve momento de transe Kaioji volta a si ainda descrente com relação aquele homem ser realmente seu pai, e mesmo com todo medo e receio que sentia com relação àquela inesperada situação, ele brada:

Kaioji: Espera que eu acredite em um estranho que nunca vi na vida? Por favor, saia da minha casa e não me importune mais!

?????: Cale a boca, não tente bancar o desentendido comigo, eu vejo no seu coração que você acredita em minhas palavras. Agora apenas fique calado e escute.

Kaioji ficou impressionado com a afirmação daquele homem, pois apesar de toda a estranheza da situação, ele realmente havia acreditado naquela revelação, e com um pouco de medo e até mesmo curiosidade, ele balança a cabeça em tom de concordar com as imposições de seu “pai”.

?????: Primeiramente vou falar a causa da morte de seu avô materno. Esse idiota morreu te protegendo.

Kaioji durante quase toda sua vida viveu ao lado de seu avô materno, porém a cerca de dois anos ele misteriosamente desapareceu, apesar de Kaioji acreditar que ele simplesmente tenha morrido, o quê acabou se confirmando, porém não pela causa que ele imaginava.

Kaioji: Como assim morreu me protegendo? Quem iria querer algo de mim?

?????: Seu avô morreu te protegendo, por minha causa, eu e consequentemente você, que é meu herdeiro, somos inimigos do governo mundial.

Kaioji: Governo mundial? O quê é isso? E porque você seria inimigo dele?

?????: Hahahaha, aquele velho desgraçado realmente soube esconder bem você, até mesmo eu tive um pouco de dificuldade para chegar aqui, mas continuando, o governo mundial foi a instituição formada após a Guerra do Milênio, ela foi criada para manter a paz e cuidar para que outro conflito dessas proporções jamais ocorressem novamente, pelo menos essa era a teoria...

Kaioji: Meu avô sempre me falou da Guerra do Milênio, porém nunca citou esse tal Governo Mundial, e o que você quis dizer, com era essa a teoria? E afinal que lugar é esse que eu vivo, isolado ao ponto de nem o Governo Mundial ter descoberto ele?

?????: Pouco antes de sua morte ele havia me falado que tinha lhe contado sobre a Guerra do Milênio, quanto a isso não tenho o quê acrescentar, ele falou toda a verdade. Quanto ao Governo Mundial, ele é comandado por descendentes daqueles que foram os principais causadores da destruição do mundo, poucos sabem disso, até mesmo a maioria das pessoas que trabalham nele não sabem desse fato obscuro, o que nem mesmo assim é justificável visto todas as atrocidades as quais eles executam, enfim, a verdade é que mesmo os que não sabem disso são apenas mercenários sanguinários, filhos desse mundo corrompido. E essa verdade, que o GM tanto esconde, nós os Serenos sabemos e por isso somos perseguidos. E o lugar onde você viveu até agora se encontra no Distrito Oscuros, é um continente do mais inexplorado atualmente, pouquíssimo se sabe sobre ele, e você se engana achando que o GM ainda não o descobriu, a verdade é que seu avô foi um grande mago que colocou essa vila e seus arredores em um raio de 400 Km em um plano fora da realidade porém, essa magia vai enfraquecendo com o tempo chegando ao ponto de terem invadido aqui, fazendo com que seu avô tenha que ter ido lutar para te proteger, mesmo com toda sua idade, consequentemente com isso, ele acabou morrendo o protegendo, como já te disse.

Kaioji: O que são esses tais Serenos, e por que você me incluiu nisso?

?????: Os Serenos é minha organização, a formei para combater o GM, e voce está incluso nela, porque é meu filho.

Kaioji: Se você é líder dessa organização, significa que é poderoso... Porque você não se importou em ajudar o meu avô? Deixando que ele me protegesse sozinho?

?????: Porque esse foi o nosso trato, após a morte de sua mãe, minha vontade era levar você comigo e começar a treiná-lo, porém o pai dela, seu avô, não permitiu e pediu que você ficasse aos cuidados dele, até sua morte. Eu pensei em ignorar aquela proposta e simplesmente partir com você, porém em respeito à memória de sua mãe decidi deixar você, na verdade isso foi até mais vantajoso para mim, já que eu não precisava me preocupar com um garoto.

Kaioji: Sendo assim por que você não veio a dois anos atrás quando ele morreu?

?????: Sou homem ocupado, estava sem tempo para vim aqui buscá-lo, sem falar que seria bom para seu amadurecimento, você morar sozinho, o que pelo estou vendo foi um engano...

Kaioji: Pois bem já que é um homem tão ocupado que vá embora, não preciso de seu treino e nem de sua proteção.

?????: Não me faça rir, acha mesmo que vou te treinar? Proteger? A única coisa que me trouxe aqui foi lhe dar a oportunidade de fugir enquanto há tempo.

Kaioji: Fugir?

?????: Isso mesmo. Oficiais do GM devem estar chegando daqui a alguns minutos para lhe matar e destruir essa vila. Agora se decida, vai fugir ou ficar aqui e morrer?

Kaioji sente pela primeira vez o medo de morrer, na verdade ele acreditava que pouco importaria a hora de sua morte, mas agora com tantas revelações, algo dentro dele o fez sentir vontade de viver, e foi com essa vontade que em um impulso ele diz:

Kaioji: Eu quero viver, mas como você pretende fazer com que eu fuja?

?????: Hum... Você não é tão idiota afinal, siga-me!

Então seu pai o direciona até a entrada da densa floresta que cercava a vila, chegando lá, Kaioji avista um imenso dirigível, mas nada chama a atenção nele a não ser seu tamanho descomunal, Kaioji olhando aquela máquina fica confuso, já que em toda sua vida jamais havia visto um, apesar de seu avô já ter-lhe contado sobre vários desses meios de transporte.

Seu pai sem muito tempo a perder explica como ele deveria conduzir aquela maquina, na verdade ele só teria que ligar o piloto automático, e explicou que o principal diferencial daquela máquina é que ela poderia se camuflar, ficando invisível aos olhos humanos, fazendo com que ele conseguisse escapar com certa tranquilidade.

Kaioji estranha o porquê de seu pai estar explicando tudo àquilo para ele, já que se imaginava que partiriam juntos.

Kaioji: E quanto a voce? Não vem comigo?

?????: Hahahaha... Não, eu tenho umas contas a acertar com esses imbecis do governo.

Kaioji fica de certa forma receoso, temendo, mesmo que pouco, pela vida do pai que acabava de ter conhecido. Apesar disso opta por ficar calado, afinal ainda não o aceitava com seu pai, e nem sabia se o iria vê-lo novamente, visto que seu pai apenas o deu a opção de fugir, e que de resto, ele teria que se virar.

Com isso, nenhuma palavra a mais foi trocada pelos dois, Kaioji não teve dificuldades para ligar o dirigível e em instantes já estava flutuando, vendo de longe a vila a qual viveu toda sua infância a parte da adolescência.

Quando já estava relativamente distante da vila, Kaioji lembra-se que havia se esquecido de fazer uma importante pergunta.

Afinal, qual era o nome de seu misterioso pai? Apesar dessa pequena frustração Kaioji ri de si mesmo, ri de sua desatenção, mas sua maior felicidade é à mudança de rumo que a sua vida estava tomando, como ele poderia imaginar que algum dia sairia daquela vila maldita? Kaioji se pergunta o porquê de não estar com medo, afinal ele estava partindo para o desconhecido, sem falar que era um homem perseguido, e que corria perigo constantemente, ele chega à conclusão, que não havia conclusão, talvez aquilo devesse ser entendido como o inicio de sua vida, propriamente dita.

Quem poderia dizer que alguém como ele, que se dizia tão pessimista pudesse estar tão empolgado com um futuro tão incerto, talvez o certo realmente fosse que seu pai, mesmo com toda sua frieza ao conversar com ele, fez nascerem sentimentos que nem o próprio Kaoji sabia que existiam.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
?????: Então você decidiu parar de fugir Katou?

Katou: Só estou economizando tempo.

?????: Vejo um sorriso no seu rosto, será porque você livrou seu querido filho da morte?

Katou: Desculpe Gaburiek, não posso mais perder tempo com vocês.

Gaburiek, o oficial do governo, se impressiona por aquele homem saber seu nome, já que ele só sabia o dele por conta de sua grande fama, e não entendia como alguém de baixa patente poderia ser conhecido por alguém tão importante.

Gaburiek: Vocês? Por acaso vê mais alguém aqui?

Katou: Não me subestime seu idiota, sei muito bem que seu parceiro está atrás de mim.

E com essas palavras Katou com um incrível reflexo, desvia do letal golpe de espada desferido pelo outro oficial, que quando vê que seu ataque foi frustrado recua.

?????: Droga...

Gaburiek: Não se precipite Garan, nós estamos lidando com o líder dos Serenos!

Katou: Agradeço o elogio, mas agora preciso acabar com isso...

Gaburiek: Isso é o que...

Nesse momento os olhos dos dois oficiais são inundados por uma intensa luz, fazendo com que nada pudessem enxergar, e nessas condições deploráveis eles sentem um pequeno vento em suas orelhas, e com isso, caem mortos.

Após o golpe, Katou usando de toda sua frieza escreve uma pequena carta e coloca sobre um dos cadaveres dos oficiais, o conteúdo dela simbolizava apenas que um Sereno havia abatido mais um oficial do GM.

Estava indo embora, quando uma voz grossa e altiva ecoou da floresta.

Katou: Eu me lembro de ter dito que não precisava de voce por aqui.

?????: Desculpe-me, mas não resisti a tentação de ver voce em combate. Se é que se pode chamar isso de um.

Katou: Eles tiveram sua escolha...

?????: Sem duvidas tiveram...

Katou: Bem, já que voce apareceu, dirija para mim.

?????: Pensei que não fosse pedir! Finalmente o grande Seijo vai entrar em ação!

Seijo é um Sereno, sua principal função na organização é pilotar máquinas, ele detem vastos conhecimentos na área da tecnologia, é conhecido também pelo seu bom humor, que se acentua mais devido as sua aparencia desengonçada e ao mesmo tempo um pouco ameaçadora.

Seijo: E quanto a ele?

Katou: Creio que já está tudo bem encaminhado.

Seijo: Voce já revelou aquilo?

Katou: Sabe que não sou bom com as palvras, por isso o direcionei para aquela pessoa.

Seijo: Não me diga que é AQUELA pessoa?

Katou: Isso mesmo.

Seijo: Boa sorte para seu filho...

Katou: Ele vai precisar.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Com isso, a saga de kaioji inicia, mas com tantas informações jogadas as suas caras, voces devem estar se perguntando, por que o pai do Kaioji é tão rude e insensível, e que habilidades são essas que ele possui. E afinal, QUEM é essa tal pessoa? O que ela fará com o nosso herói?

Todas essas coisas e muitas outras que serão colocadas nessa história serão respondidas! (pelo menos essa é a teoria)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eusine48
Top membro
Top membro
avatar

. : Sou imune ao feijão
Mensagens : 773
Sanidade : -17

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Qua 30 Maio - 20:19

Nossa... Quem diria, você postou mesmo outro capítulo!

Hum... Apesar de eu achar que o Kaioji aceitou com muita facilidade, acho que ficou muito bom! f2

Acho que o que mais me deixou curiosos foi sobre o poder do pai do Kaioji e sobre quem o garoto está indo encontrar... Não parece que o cara seja legal...

« siggy »

É isso que o Eusine pensa de mim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net/
Ihanskelsen
Aleatório
Aleatório
avatar

. : Cool
Mensagens : 13
Sanidade : 0

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Qui 31 Maio - 6:32

Eusine48 escreveu:
Nossa... Quem diria, você postou mesmo outro capítulo!

Hum... Apesar de eu achar que o Kaioji aceitou com muita facilidade, acho que ficou muito bom! f2

Acho que o que mais me deixou curiosos foi sobre o poder do pai do Kaioji e sobre quem o garoto está indo encontrar... Não parece que o cara seja legal...

Hum... Como já disse uma virada dessas era o que mais Kaioji esperava em sua vida, ele já estava conformado com sua vida infeliz e de repente surge tantas coisas novas. Meio impossível ele não aceitar! Mas isso também não quer dizer que ele aceitou o pai, entenda que ele só deu uma chance a vida!

Quanto o poder do pai dele, vai demorar muiiito pra você saber o que é (nem eu sei direito o que é f6 )

O carinha que ele vai encontrar lá é gente boa!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
arrout
Super Random Guy!
Super Random Guy!
avatar

. : *arroto* :3
Mensagens : 456
Sanidade : 2

MensagemAssunto: Re: 41 - 41...   Qui 31 Maio - 11:15

Interessante!
f2

Apesar de eu achar que demorou muuuito para ser postada
Gostei bastante!
O pai dele parece saber de muita coisa,que a maioria da população desse planeta não sabe

« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
41 - 41...
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Path Makers :: Off Topic :: Histórias Historásticas-
Ir para: