Path Makers


 
InícioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Mindflayer

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Forasteiro Solitario
Top membro
Top membro
avatar

. : Nunca terminei nada
Mensagens : 429
Sanidade : 1

MensagemAssunto: Mindflayer   Qui 29 Maio - 20:34

Prólogo: Arumia


Arumia, ao contrário de muitas cidades, não foi construída, foi descoberta há 50 anos atrás por um arqueólogo com o nome de Solen Forever, a cidade era única, possuía 4 andares e tecnologia sem igual, porém, maior parte dessa tecnologia não estava mais funcional, mesmo assim, Solen ficara fascinado com a cidade e teve e louca ideia de reconstrui-la e repovoa-la, então Solen reunira os maiores intelectuais da época para ajuda-lo a desvendar os mistérios da cidade e torna-la mais uma vez funcional. Enquanto investigavam, descobriram diversas novas tecnologias que trouxe avanços a diversas áreas da ciência. Porém, há mistérios sem solução, existem algumas máquinas que funcionam com uma fonte de energia desconhecida, e quais eram os habitantes desta cidade? Eram eles sequer humanos? E como que ninguém havia avistado uma cidade gigantesca dessa antes? Mesmo ela estando fora da fronteira de qualquer nação, seria possível enxerga-la facilmente de qualquer avião que passasse perto da área. E o que aconteceu com os antigos habitantes de Arumia? Eles não haviam porque abandonar a cidade, sendo que ela era auto-suficiente, será que aconteceu alguma catástrofe e todos eles morreram? Então como é que não havia esqueletos? Ah, mas podia ter sido um desastre nuclear... Então como a cidade estava praticamente intacta? Um desastre nuclear teria destruído boa parte da cidade, sem mencionar que Arumia não utilizava energia nuclear. Existem diversas hipóteses, mas nenhuma foi comprovada.
Apesar de tantas perguntas sem resposta, em 4 anos a cidade foi aberta para outras pessoas habitarem no primeiro andar da cidade. No início, muitos estavam receosos de ir, devido ao fato de Arumia não pertencer a nenhuma nação, porém os poucos que foram, espalharam para seus amigos e família sobre as maravilhas de Arumia e logo a cidade foi rapidamente povoada.
Solen Forever ficou conhecido como o fundador e "dono" da cidade, já que ele, literalmente, cuidava de todas as decisões políticas e econômicas.

Em 30 anos, Arumia se tornou uma potência e ficou conhecida como "A Cidade País" e apresentara um dos maiores IDHs do mundo. A criminalidade era praticamente nula e não haviam desempregados.
Enquanto Solen governava Arumia, a prosperidade e a paz era quase absoluta. Porém, 9 anos atrás, Solen Forever desapareceu misteriosamente e nunca mais foi visto desde então. Com o desaparecimento de Solen Forever, surgiu um grande problema, quem iria governar Arumia? Conflitos políticos começaram a surgir para determinar quem governaria a cidade, e o IDH começou a cair, o desemprego começou a surgir e a criminalidade foi aumentando gradativamente. Arumia ainda não tem um governante definido e quase chegou a ser "dividida" uma vez, muitos acham que a idade dourada de Arumia acabou e uma idade das trevas se aproxima...
O desaparecimento de Solen Forever ainda é um mistério, muitos acreditam que ele está morto e ninguém o viu no dia do seu desaparecimento, com exceção de uma pessoa, seu neto, Denas Forever.

===========================================

Sim, eu voltei, e não, este não é o Einherjar e não desisti dele ainda. É só que Psíons é um dos meus temas favoritos e um dos menos trabalhados, tanto em RPGs quanto em animes, até existem uns pouquíssimos jogos com o foco em Psíons, mas não existem nenhum anime exclusivamente para psíons. Então eu decidi criar uma história só sobre Psíons, talvez eu até faça uma animação dela depois, dependendo do número de aprovações.
E antes que alguém pergunte, eu vou logo responder... Esses Denas Forever não é o mesmo meio-elfo utilizado nas fics do PM, este nem sequer é meio-elfo. E este Solen não é o mesmo avô do Denas e Sozin, é que eu gosto de reciclar idéias e personagens, se vocês (Eusine e Alex) quiserem utilizar o Denas nas histórias de vocês, recomendo que vocês usem o meio-elfo que vocês já conhecem, porque do jeito que estou criando esta história, seria praticamente impossível fazer um "cross" com a de vocês.
Enfim... Se eu cometi algum erro ou lapso em informações, me avisem, este só foi o prólogo e pretendo postar o ep 1 amanhã mesmo. E claro, críticas e sugestões são bem vindas! contanto que você saiba criticar
Abaixo seguem as imagens do Solen Forever:

Solen Aventureiro -

Solen Jovem -

Solen Velho -


Última edição por Forasteiro Solitario em Dom 1 Jun - 12:07, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
arrout
Super Random Guy!
Super Random Guy!
avatar

. : *arroto* :3
Mensagens : 456
Sanidade : 2

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Qui 29 Maio - 20:44

Parece bem interessante, na verdade. Muito mais do que imaginei que iria ser, lol.
Não que eu ache que você vá terminar. Boa sorte nessa história.
Ep excessivamente curto, mas pelo menos me deixou interessado

« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eusine48
Top membro
Top membro
avatar

. : Sou imune ao feijão
Mensagens : 773
Sanidade : -17

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Qui 29 Maio - 22:10

Primeiro de tudo, Arumia é um nome estranho. Assim que li no título, pensei "Acho que ele quis dizer, 'a ruína'.".

Você apresentou o mesmo problema que sempre critico em coisas escritas por Arroutos: Excesso de vírgulas! Principalmente até a metade do primeiro parágrafo fica muito irritante ler sem uma pausa definitiva para o cérebro. Fala sério, sua primeira frase tem 5 linhas.

O prólogo me pareceu interessante, apesar de não estar bem escrito como seus projetos anteriores. Me deixou interessado, e fico sinceramente feliz de saber que esses não são os mesmos Forever da minha história. Porque ai eu teria que alterar muita coisa. theNewF6

Espero que seja épico como o padrão FS de ser!

Ah, e espero também que você explique o termo psíon. Você fala como se fosse super conhecido por todos.

« siggy »

É isso que o Eusine pensa de mim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net/
Mr.Galleom
The Gah One
The Gah One
avatar

. : Quase um fantasma
Mensagens : 896
Sanidade : 4

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Sex 30 Maio - 9:53

^É um nome estranho porque é o nome de uma Empresa Dedetizadora e o nome da região (em jap) de Pokemon Shadows of Almia (Arumia -> Almia?) f6

Certo, quanto ao texto em si, também tenho o mesmo problema que com coisas escritas do Art, que é muito bloquesco de texto, o que é indicação de falta de divisão de parágrafos, mas enfim.

O "setting" parece bem... interessante. Esse prólogo é bem curto, porém faz o que o início de qualquer texto deveria fazer, chamar atenção do leitor, então foi um bom trabalho nesse aspecto.

O uso de Forevers foi... estranho, já que associo essa família mais pra uso de coisas comediozescas, lol

Er, mas sim. Você mencionou psíons nos comentários finais, e me deu a impressão "Ei, eu perdi alguma coisa?".

« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net
Forasteiro Solitario
Top membro
Top membro
avatar

. : Nunca terminei nada
Mensagens : 429
Sanidade : 1

MensagemAssunto: Episódio 1: Despertar   Dom 1 Jun - 5:21

Eu sei que o update está atrasado, mas pelo menos ele está aqui! Antes tarde do que nunca!
Agora respondendo aos comentários...

Kakarrotto escreveu:
Ep excessivamente curto, mas pelo menos me deixou interessado

ZINKA escreveu:

O prólogo me pareceu interessante, apesar de não estar bem escrito como seus projetos anteriores. Me deixou interessado

Gahara escreveu:
O "setting" parece bem... interessante. Esse prólogo é bem curto, porém faz o que o início de qualquer texto deveria fazer, chamar atenção do leitor, então foi um bom trabalho nesse aspecto.

Então todos concordam que apesar do prólogo ter sido pequeno, ele fez a sua função. Ótimo.
E ZINKA, eu lembro que nos meus projetos anteriores eu era extremamente detalhista. Porém eu não fazia um prólogo revelando parte da lore, eu começava logo com o primeiro episódio. Eu até poderia escrever a lore toda no prólogo, mas se eu fizesse, além de ficar chato de se ler, teria muita coisa que vocês não entenderiam. Por isso eu achei melhor fazer um prólogo revelando apenas uma pequena parte da lore, o bastante para chamar atenção. O resto da lore revelarei conforme o passar da história.

ZINKA escreveu:
Primeiro de tudo, Arumia é um nome estranho. Assim que li no título, pensei "Acho que ele quis dizer, 'a ruína'.".

Gahara escreveu:
^É um nome estranho porque é o nome de uma Empresa Dedetizadora e o nome da região (em jap) de Pokemon Shadows of Almia (Arumia -> Almia?) f6

Arumia era o nome de uma cidade mística de um projeto que não cheguei a terminar. Sempre achei um bom nome e por isso decidi recicla-lo, mas parece que vocês não pensam o mesmo... Talvez eu mude o nome da cidade, se eu achar um nome melhor.

ZINKA escreveu:
Você apresentou o mesmo problema que sempre critico em coisas escritas por Arroutos: Excesso de vírgulas! Principalmente até a metade do primeiro parágrafo fica muito irritante ler sem uma pausa definitiva para o cérebro. Fala sério, sua primeira frase tem 5 linhas.

Gahara escreveu:

Certo, quanto ao texto em si, também tenho o mesmo problema que com coisas escritas do Art, que é muito bloquesco de texto, o que é indicação de falta de divisão de parágrafos, mas enfim.

Verdade, isso é um problema meu. Eu tentarei evitar isso ao máximo de agora em diante.

ZINKA escreveu:

Ah, e espero também que você explique o termo psíon. Você fala como se fosse super conhecido por todos.

Gahara escreveu:

Er, mas sim. Você mencionou psíons nos comentários finais, e me deu a impressão "Ei, eu perdi alguma coisa?".

Eu até pensei em explicar isso no prólogo, mas achei melhor explicar isso conforme as descobertas do protagonista. A história começa mesmo é aqui.

Nota: Frases em itálico representam pensamentos.

===========================================

Episódio 1: Despertar

Arumia ,Mansão Forever, quarto de Denas Forever, 4 da manhã.

Um garoto de cabelo preto, bagunçado, pele pálida e olhos azuis acaba de acordar. Ao despertar ele apressadamente agarra um caderno que estava em cima de uma cabeceira próxima à sua cama.

Denas: Eu preciso desenhar isso antes que eu me esqueça...

Ele começa a desenhar um círculo e dentro do círculo ele desenha uns símbolos que aparentam ter sentido nenhum. Ele leva aproximadamente 10 minutos para terminar de desenhar o símbolo. Após terminar seu trabalho, ele observa o símbolo e começa a refletir.

Denas: Eu nunca fui um bom desenhista, mas por alguma razão... Tem vezes que eu acordo com um símbolo desses na minha cabeça e eu sinto uma necessidade de passa-los para o papel...


O garoto começa a foliar seu caderno, revelando diversos outros símbolos, um em cada página. Muitos símbolos se repetiam, porém, o seu mais recente era único.

Denas: O que esses símbolos significam..? Toda vez que eu olho para eles, sinto essa sensação estranha... Quando foi que eu comecei a acordar com essas coisas na minha cabeça?

9 anos atrás.


Denas: Eu não consigo dormir! Acho que vou andar pela casa até ficar cansado...

O garoto de 6 anos sai do seu quarto e começa andar pelos corredores da Mansão Forever, ele permanece caminhando até ouvir uns passos. No início ele ficou assustado, depois a curiosidade tomou conta e ele foi investigar. Ele vai em direção de onde ouviu os passos, o que o levou até o salão de entrada da mansão. Lá ele avistou seu avô, Solen Forever, qual estava destrancando as portas da mansão como se ele fosse sair para algum lugar. Preocupado, seu neto foi até ele e disse:

Denas: É perigoso sair de noite, vovô.

Ao escutar a voz, Solen se vira assustado. Ao perceber que era apenas seu neto, ele respira fundo, relaxa e começa a falar com seu neto.

Solen: Ah... É só você Denas... O que você está fazendo andando pela mansão a essa hora?

Denas: Eu tô sem sono. E para onde você vai a essa hora vovô?

Solen: ...

Denas: Vovô?

Solen se abaixa para ficar da mesma altura de seu neto e enquanto olha nos seus olhos, fala:

Solen: Eu vou ter que sair por um tempo Denas. Eu não posso falar para você nem para ninguém para onde eu vou, nem porque eu vou. Eu vou ficar longe durante muito tempo. É bem provavel que na próxima vez que nos encontrarmos, você já esteja grande.

Solen abraça seu neto.

Solen: ... Mas eu vou ter que fazer isso pelo bem de todos.

Denas: Vovô... Por que você tem que ir embora? Você não pode mandar outra pessoa no seu lugar?

Solen: Não. Isso é algo que só eu posso fazer.

Os dois ficam abraçados por alguns minutos.

Solen: Eu tenho que ir... Não tenho muito tempo...

Denas: Vovô... Boa sorte...

Solen: Obrigado... E Denas... Não conte sobre para ninguém que você me viu, nem sobre essa nossa conversa, certo?

Denas: Certo.

Solen: Vai demorar para nos encontrarmos, mas vamos nos encontrar novamente. Eu prometo isso.

Solen abre o portão da mansão, sai, e o tranca pelo lado de fora.

Dia atual.


Denas: Foi depois daquela noite... Que eu comecei a acordar com esses símbolos na minha cabeça. No início achei que eram apenas parte de um sonho maluco, mas depois eu estranhei, porque de vez em quando isso se repetia. Fora que eu sentia como se eles fossem algo importante e que eu precisasse lembrar deles. Foi só um ano depois que eu decidi começa a desenhar esses símbolos, quando eu passei a fazer isso, a frequência de eu acordar com esses símbolos na cabeça diminuiu bastante...
Mas recentemente... Isso tem ocorrido com mais frequência... Talvez... Seja hora de descobrir o que esses símbolos significam...?


Ele começa a foliar o caderno e observar cada símbolo nele com cautela, tentando achar um significado por trás deles. Quando ele se deu conta, alguém estava batendo na porta do quarto dele.

Empregada: Senhor Denas, o café da manhã está pronto!

Ao olhar o relógio, ele percebe que já era 6 e 10 da manhã! Porém, ele podia jurar que há poucos minutos ainda era madrugada! Suspeito e surpreso, ele fecha o seu caderno, troca de roupa e vai até a sala de jantar tomar o seu café.

Na sala de jantar havia uma grande mesa retangular, coberta por um imenso tecido branco. Sobre ela, havia o que para alguns seria um banquete, mas para os Forevers, era apenas o típico café da manhã. Sentados estavam os membros da família Forever, uns estavam apenas comendo, enquanto outros também estavam conversando.
Denas se senta onde tinha menos gente por perto e começa a beber seu leite e logo em seguida come uns biscoitos, ele era o que menos comia de manhã. Depois de comer, retirara-se da mesa e retornou ao seu quarto sem falar com ninguém, não tinha uma relação boa com a sua família.

Ao chegar no quarto ele foi escovar seus dentes e pegar sua mochila de aula, ele nem sequer tirava os livros da mochila. Quando ele estava saindo do quarto, ele lembrou do seu caderno no qual ele havia desenhado os símbolos estranhos e decidiu leva-lo para a aula. Dar uma olhada nele na hora do intervalo ou até durante a aula mesmo. Ele sai da mansão, do lado de fora da mansão havia um motorista que o estava esperando. Denas entra no carro sem dizer uma palavra, afinal, ele achava desnecessário falar para o motorista o seu destino, sendo que ele já sabia. O motorista então, percorre o mesmo percurso que ele sempre faz para levar Denas a aula. Durante o percurso inteiro, Denas fica observando as paisagens de Arumia pela janela do carro.
Ao chegar no seu destino, antes de sair do carro, Denas fala para o motorista:

Denas: Não venha me buscar. Planejo almoçar em um restaurante e depois passear um pouco pela cidade.

Motorista: O senhor não gostaria que eu lhe levasse até o restaurante?

Denas: Não. Eu vou a pé mesmo.

Motorista: Tenha uma boa aula, jovem mestre.

Denas: E você tenha um bom dia.

Após isso, Denas sai do carro e entra na escola. Andando pelos corredores, se conduzindo até sua sala de aula. Ao chegar lá, ele se senta na última cadeira da primeira fileira da esquerda. E espera, silenciosamente, até o professor entrar em sala, sem dar atenção aos seus colegas. Os seus colegas estavam conversando, enquanto ele permanecia quieto, sentado. E continuaram conversando até o professor entrar em sala de aula, qual cumprimentou a sala antes de iniciar sua aula.
A aula, na visão de Denas, estava chata. Ele até pensou em pegar seu caderno e voltar a analisar seus símbolos, mas achou melhor não fazer isso. Ele não queria que nenhum colega, e muito menos o professor, visse o seu os símbolos no seu caderno. Por isso, ele achou melhor esperar até o intervalo.

Quando chegou o intervalo, ele pegou sua mochila e se dirigiu até a biblioteca, era provavelmente, o único lugar na escola onde ele teria paz e silêncio para analisar seus símbolos calmamente.
Ao chegar na biblioteca, ele procurou por uma mesa vazia e sem ninguém por perto. Ao achar uma, ele sentou-se e colocou sua mochila em uma cadeira que estava ao lado. Então ele retirou seu caderno da mochila, abriu-o e começara a observar o último símbolo. Um minuto depois disso, o sinal tocou. Denas ficou indignado, ele chegou na biblioteca ainda com uns 17 minutos faltando para o sinal tocar. Ele até olhou no relógio para confirmar e de acordo com o relógio, já estava na hora do sinal tocar. Ele se lembrou de algo semelhante ter acontecido na madrugada. Suspeito e curioso, ele guarda seu caderno na mochila e volta para sua sala de aula.

Ao voltar para a sala, ele não dá muita atenção para as aulas, até o momento que chega a professora de história e ela começa a falar sobre Solen Forever. Neste momento Denas foca toda sua atenção no que ela tem a dizer, ele odiaria se ela desse alguma informação falsa sobre seu avô. Porém tudo que ela disse era verídico, com exceção de uma:

Professora: ... Solen Forever morreu há 9 anos atrás, seu corpo nunca foi encontrado.

Ao ouvir isso, Denas se sente incomodado e responde:

Denas: Solen Forever não morreu há 9 anos atrás, ele DESAPARECEU há 9 anos atrás e nunca mais foi visto desde então.

Professora: Denas. Eu entendo que ele era seu avô, mas vamos encarar os fatos. Você acha mesmo que alguém que está desaparecido há quase 10 anos ainda possa estar vivo?

Denas: Você sabe que já ocorreram, casos na história de pessoas que sumiram por mais tempo do que isso e depois de muitos anos voltaram, vivas.

Professora: Esses casos eram extremamente raros, além disso, é impossível viver nos dias atuais sem interação social e não existe uma pessoa nessa cidade que não saiba quem é o seu avô.

Denas: Então ele deve estar vivendo em outra cidade.

Professora: Você sabe que não existe nenhuma cidade ou sequer vila próxima a nossa cidade. Eu sei que é difícil para você, já que você era o neto dele. Mas mais cedo ou mais tarde você terá que aceitar os fatos.

Denas: Fatos? Que fatos? O corpo dele nunca foi encontrado. Não há nenhuma prova de que ele está morto.

Professora: Bom, você é livre para acreditar no que você quiser. Agora voltando a aula...

E a professora voltou a passar seu conteúdo, como não havia mais mencionado nada sobre Solen Forever, Denas permaneceu quieto até o final da aula.
Quando a aula acabou, ele saiu da escola e foi almoçar em um restaurante próximo. Depois da refeição, ele foi passear um pouco pela cidade e admirar a paisagem. Porém, ele estava distraído pensando sobre os símbolos. O que seriam eles e porque quando ele ficava olhando atentamente para eles, o tempo literalmente voava? Como estava distraído com seus pensamentos, quando ele menos se deu conta, ele estava em um beco. Ele foi dar meio volta, mas dois sujeitos estavam bloqueando seu caminho.

Denas: Vocês podem fazer o favor de saírem do meu caminho?

Sujeito 1: Claro, se você nos fizer o favor de dar a sua carteira para a gente.

Denas: Vocês não sabem quem eu sou, sabem?

Sujeito 2: Ei, é melhor a gente deixar esse cara em paz, ele é Denas Forever. Se a gente mexer com ele a polícia vai perseguir a gente até no sub-mundo.

Sujeito 1: Você tá brincando?! Vamos sequestrar ele então! E cobrar pelo resgate, vai ser um dinheiro fácil!

Sujeito 2: Eu não sei se isso é uma boa idéia...

Sujeito 1: Bah! Deixe de ser covarde! Nós somos bandidos, não temos nada a perder.

Bandido 2: Verdade...

Bandido 1: Agora garoto, podemos fazer isso do jeito fácil ou do jeito difícil...

O primeiro bandido tenta agarrar Denas pelo braço e recebe um empurrão do mesmo.

Bandido 1: Então vai ser do jeito difícil é...

O primeiro bandido saca uma pistola e aponta para Denas.

Bandido 2: Ei! Cuidado pra não matar ele!

Bandido 1: É claro que eu não vou matar ele, mas se ele oferecer resistência, eu vou ter que machuca-lo.

Denas: Eu te desafio a atirar, se você atirar, vai fazer muito barulho e várias pessoas virão aqui.

Bandido 1: Você acha que eu sou idiota? Foi por isso que eu coloquei um silenciador nessa minha pistola!

Denas: Se eu apenas tivesse uma arma comigo...

Bandido 1: Pegue-o e o leve até o carro.

O segundo bandido se aproxima de Denas. Nesse momento, apareceu na palma de sua mão um chicote azul transparente com uma lâmina na ponta, sem hesitar, Denas chicoteia o segundo bandido que se aproximava dele.

Bandido 2: ARGH!!!

Bandido 1: O que está acontecendo!?

Aparentemente eles não conseguiam enxergar o chicote e, apesar dos ataques acertarem o segundo bandido, ele não sangrava. Denas continuou chicotando o bandido até ele cair inconsciente.

Bandido 1: O-o que você fez com ele!? N-não se m-mexa! Se você de-de-der um p-passo eu a-a-a-tiro!

Denas nem sequer movimentou sua mão, mas chicote foi exatamente onde ele queria, na mão do bandido, fazendo ele largar a arma. Depois o chicote fez um laço nas pernas do bandido, derrubando-o no chão e o arrastando para perto e depois golpeou-o na cabeça, fazendo-o desmaiar. Não havia sangue nenhum ou sequer arranhões nos bandidos, e o chicote meio que se mexia sozinho, como se fosse comandado pela mente. Depois disso, Denas olha para o chicote em sua mão e viu que ele estava conectado na palma de sua mão. Como se fizesse parte do corpo dele.

Denas não sabia o que estava acontecendo. Apesar de estar surpreso, ele manteve a calma e tentou pensar logicamente, mas ele nunca tinha sequer ouvido falar de um fenômeno desses! Diversas hipóteses passavam pela sua cabeça, tentando explicar esse fenômeno.

===========================================

E este foi o fim do primeiro episódio, espero ter mantido as expectativas de vocês.
Planejo fazer o próximo update na quinta-feira.
E abaixo segue a imagem do Denas Forever.

Denas Forever (Uniforme de Escola) -
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eusine48
Top membro
Top membro
avatar

. : Sou imune ao feijão
Mensagens : 773
Sanidade : -17

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Dom 1 Jun - 11:46

Eu gostei do episódio! Realmente alcançou as expectativas que eu tinha... Ou melhor, ficou melhor que esperava. Agora só falta você desistir e destruir qualquer expectativa que deu para os leitores. f3

Ainda acho estranho usar a família dos Forever. Quer dizer, tava esperando um certo Sozin aparecer na mesa do café da manhã. Hehe...

Você disse que a cidade era dividida em níveis... Quantos? E qual nível os Forever moram?

Eu já entendi sobre a personalidade do Denas, mas ainda assim achei estranho o quanto ele ficou calmo com o chicote no final. Calmo até demais. E jogou Castlevania ultimamente?

Ah, e pela roupa da escola me fez pensar que Arumia é um lugar bem frio...

« siggy »

É isso que o Eusine pensa de mim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net/
arrout
Super Random Guy!
Super Random Guy!
avatar

. : *arroto* :3
Mensagens : 456
Sanidade : 2

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Dom 1 Jun - 18:52

Gostei bastante. Achei que você estivesse enferrujado, mas nem está f2. Mantenha a qualidade, ou melhore até, mas por enquanto está muito interessante (e um pouco animesco)
Eusine escreveu:
Ah, e pela roupa da escola me fez pensar que Arumia é um lugar bem frio...
O clima pode ser temperado só. Essas roupas não parecem tãããõ pesadas assim. Pode ser que ele estudo em uma escola de classe alta também f6.

« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Firealex
Super Random Guy!
Super Random Guy!
avatar

. : A Emblema do Alex!
Mensagens : 496
Sanidade : 5

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Seg 2 Jun - 20:20

Er... nada mau para o seu episódio.

E você vai abandonar esta fic como os outros, não? Nem vou perguntar do que aconteceu com os outros...

Já estou começando a desistir de pensar se este é o mesmo Denas que o antigo...

« siggy »


"Prefiro o desenho podre de natal que isso!"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mr.Galleom
The Gah One
The Gah One
avatar

. : Quase um fantasma
Mensagens : 896
Sanidade : 4

MensagemAssunto: Re: Mindflayer   Sex 6 Jun - 21:04

Nah, acho que o nome está bom o suficiente. Pode lembrar Almia (e foi o que me fez pensar nos primeiros segundos), mas não é um problema.

Achei um pouco estranho o bandido falar que são bandidos e portanto não têm nada a perder, especialmente quando um deles tem dinheiro pra ter uma arma e um silenciador.

Esse negócio do chicote foi bem estranho f6 e não tenho certeza de como ele conseguiu não machucar os bandidos tendo uma lâmina na ponta, mas acho que você irá explicar as coisas depois?

Mas bem, no geral achei bom, mas mais importante do que manter a qualidade, acho que você deveria se concentrar em manter a fic, como um todo >_>


« siggy »
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pathmakers.forumeiros.net
 
Mindflayer
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Path Makers :: Off Topic :: Histórias Historásticas-
Ir para: